Paulo Nazareth

Sobre

1977, vive e trabalha em Palmital, Minas Gerais

Paulo Nazareth (Governador valadares, 1977) incorpora em seu trabalho gestos simples, explorando temas, ainda incipientes no circuito nacional e internacional de arte, ligados à imigração, racismo e colonialismo. Embora seu trabalho possa se manifestar em vídeo, fotografia e objetos colecionados, seu meio mais forte é o cultivo/construção de relacionamentos com indivíduos que cruzam o seu caminho – especialmente aqueles colocados à margem devido ao seu status legal ou reprimidos pelas autoridades governamentais.

 

Entre suas principais exposições estão: ICA Miami, Miami (2019); Faca Cega, Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte (2018); Old Hope, Mendes Wood DM, São Paulo (2017), Genocide in Americas, Meyer Riegger, Berlin (2015), Journal, Institute for Contemporary Arts, London (2014), Premium Bananas, MASP, Museum of Art São Paulo (2013). Participações em mostras coletivas incluem Beyond the Black Atlantic, Kunstverein Hannover, Hannover (2020); 22nd Sydney Biennial, Sydney (2020); Our Selfie, MO Museum, Vilnius (2019); How to talk with birds, trees, fish, shells, snakes, bulls and lions, Staatliche Museen zu Berlin, Berlin (2018); EXTREME. NOMADS, MMK Museum für Moderne Kunst, Frankfurt am Main (2018); The Lotus in Spite of the Swamp, Prospect.4 Triennial, New Orleans (2017); Field Gate, Remai Modern, Sasktoon (2017); Soft Power. Arte Brasil, Kunsthal KAdE, Amersfoort (2016); Much wider than a line, SITE Santa Fe, Santa Fe (2016); New Shamans/Novos Xamãs: Brazilian Artists, Rubell Family Collection, Miami (2016); Indigenous Voices, Latin American Pavilion 56th Venice Biennale, Venice (2015).