maré de matos

Sobre

1987, vive e trabalha em São Paulo

maré de matos é artista transdisciplinar. graduada em artes visuais na escola guignard (uemg), mestre em teoria literária (ufpe) e atualmente desenvolve o projeto museu das emoções no doutorado (usp). exercita o tensionamento entre versão e verdade; história única e contra-narrativas polifônicas; poder e posição. pesquisa representação e responsabilidade, invenção da raça e narrativa de si, imaginário e delírio da modernidade, subjetividade e poéticas negras. seus trabalhos situam-se, sobretudo, no vão entre os territórios da imagem e da palavra.

Recentemente, exibiu trabalhos em exposições coletivas como Abre caminhos! com curadoria de Hélio Menezes (CCSP, São Paulo, 2020); Farsa com curadoria de Marta Mestre (Sesc Pompeia, 2020); Lugar Comum: travessias e coletividades na cidade com curadoria de Camila Bechelany (Ibirapuera, São Paulo, 2020); Sertão: Panorama da Arte Brasileira com curadoria de Julia Rebouças, (MAM, SP, 2019); Epistemologias Comunitárias com curadoria de Janaína Barros (CCUFMG, 2019), Ontem, hoje, agora, com curadoria de Catarina Duncan, (Solar dos Abacaxis, Rio de Janeiro, 2019), ⦿ com curadoria de Catarina Duncan (Galeria Leme, São Paulo, 2018), Os da minha rua com curadoria de Joana D’ark (Museu da Abolição, Recife, 2018), Vetores com curadoria de Ariana Nuala (Museu Murilo La Greca, Recife, 2018).

@maredematos