Janaina Wagner

Sobre

1989, vive e trabalha em São Paulo e Roubaix, França

A pesquisa de Janaina Wagner explora aspectos da tentativa de controle do ser humano de seu meio ambiente, principalmente por meio de processos civilizatórios voltados para o domínio da natureza, ignorando sua fragilidade e finitude. Sua prática abrange uma ampla gama de mídias, incluindo instalações, vídeo, fotografia, desenho, pintura e cenografia. Muitas das referências de Wagner derivam dos procedimentos através dos quais a humanidade registra e articula seu progresso e legado. Tendo estudado Belas Artes e Jornalismo, ela aborda e questiona os mecanismos que validam uma história como verdadeira – olhando de perto cada constelação de contos, fatos e imagens. Wagner desenvolve sua obra plástica em um processo de “decupagem”, rearticulando imagens e textos já inseridos na circulação midiática.

 

Residente no Estúdio Nacional de Artes Contemporâneas Le Fresnoy (FR), sob a orientação do cineasta Béla Tarr. Participou de diversas residências, como Bolsa Pampulha (MG), Red Bull Station (SP), Phosphorus (SP), Casa Tomada (SP), Anarcademia, (W139, Amsterdã) e NES Skagaströnd. Principais exposições individuais: With burning love – (Villa Belleville, Paris), Criatura (Oficina Cultural Oswald Andrade, SP), e Decupagem/ Crônica de um final anunciado (MARP, SP). Principais coletivas: Ensaio de Tração – Pinacoteca do Estado de São Paulo (São Paulo, Brazil), 10 Semana de Cinema do Rio de Janeiro, Bestiário – Centro Cultural São Paulo – CCSP (São Paulo, Brazil), Permanências e Destruições – Torre H (RJ), Hipótese e Horizonte – Observatório (SP), 4o Prêmio EDP nas Artes – Instituto Tomie Ohtake (SP).

 

janainawagner.com