Cristiano Lenhardt

Sobre

1975, vive e trabalha em Recife

A obra de Cristiano Lenhardt explora as narrativas que entrelaçam a cultura pop e a cultura de massa, a construção de mitos e lendas e uma reflexão sobre as formas como seres humanos, animais e objetos se relacionam. A sua prática não privilegia um meio acima do outro, mas antes abrange filme, performance, instalação, escultura, fotografia, desenho e gravura. O artista cria peças que fazem referência a diferentes fontes, incluindo folclore, história da arte, literatura fantástica e ficção científica, deixando sua pesquisa ser guiada não por um conceito pré-estabelecido, mas por uma série de exercícios de escrita, desenho e manipulação de materiais de diferentes origens – itens encontrados, orgânicos e inorgânicos, elementos descartados, matérias-primas que vêm de outros objetos – que vão sendo modelados, montados, dobrados e trazidos à vida.

 

Principais exposições coletivas: 36o Panorama da Arte Brasileira, 32a Bienal de São Paulo, São Paulo (2016), Bienal Naifs do Brasil, Piracicaba (2016), Soft Power, Kunsthal KadE, Amersfoort (2016), 19o Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil, Panoramas do Sul, Galpão VB, São Paulo (2015), 5o Prêmio CNI SESI Marcantônio Vilaça, MAC-USP – Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (2015), Cruzamentos: Contemporary Art in Brazil, Wexner Center for the Arts, Ohio (2014), Da próxima vez eu fazia tudo diferente, Pivô, São Paulo (2012), Rumos Visuais Itaú Cultural, São Paulo (2012), Mythologies, Cité Internationale des des Arts, Paris (2011), 7a Bienal de Artes Visuais do Mercosul, Porto Alegre (2009), Constructing Views, New Museum, Nova York (2010). Mostras individuais: ÍRÌ, Galpão Fortes D’Aloia & Gabriel (2019), O Habitante do Plano para Fora, Galpão Fortes Vilaça, São Paulo (2015), Matéria Superordinária Abundante, Galeria Amparo, Recife (2014), Litomorfose, Galpão Fortes Vilaça, São Paulo (2014). Participou de programas de residência como Phosphorus, São Paulo (2013), Gasworks, Londres (2013) e Made in Mirrors Foundation, Guangzhou, China (2011).