Predição Instantânea do Tempo - Eduardo Navarro

Período

15/06 – 03/08/2019

Horário de funcionamento

Terça a Sábado
13h às 19h

Entrada

gratuita

Dando continuidade ao seu programa anual de exposições de 2019, o Pivô apresenta Predição Instantânea do Tempo, primeira exposição individual do artista argentino Eduardo Navarro no Brasil.

 

 O trabalho de Eduardo Navarro investiga possíveis pontos de convergência entre arte e ciência, dedicando especial atenção às possibilidades de diálogo entre forças naturais e espécies. O artista frequentemente trabalha com colaboradores de diversas áreas técnicas que o ajudam a desenvolver dispositivos especiais para investigar os efeitos dos fenômenos naturais na experiência humana, abrindo assim novas possibilidades de contato e interação com o nosso entorno imediato. As performances e instalações de Navarro, muitas vezes dependem de bailarinos e voluntários para acontecer. Suas propostas envolvem desde de coreografias complexas até desenhos comestíveis, em que ele parte de experiências sensoriais para colocar em cheque a distância entre o observador e aquilo que é observado. 

 

Predição Instantânea do Tempo é um projeto comissionado pelo Pivô e realizado em seu espaço expositivo principal.  Navarro partiu de seu interesse sobre o movimento dos ventos para conceber uma grande instalação composta por 30 trajes que se assemelham a estações metereológicas e que serão ativados por bailarinos ao longo da exposição. Este projeto segue uma metodologia utilizada em outros trabalhos, como In Collaboration with the Sun (Em Colaboração com o Sol), 2017 e Instructions from the Sky (Instruções para o Céu), 2016 em que Navarro desenvolveu uma indumentária especial para tentar se “sincronizar” com o movimento das nuvens e do Sol.  Em Predição Instantânea do Tempo, o artista cria uma espécie de “roupa-biruta” que conecta o corpo com o vento.

 

Para desenvolver os trajes, Navarro observou atentamente os vetores criados pela representação cartográfica das correntes de ar sobre a Terra e observou o potencial coreográfico da mecânica dos indicadores de vento, mais conhecidos como “birutas”. Tanto o sentido figurado quanto o valor utilitário do objeto interessam ao artista. A biruta se esvazia ou se enche de ar, indicando o deslocamento do vento, e é surpreendente pensar que ainda sejam fundamentais na organização do tráfego aéreo na maior parte do mundo. 

 

As roupas criadas pelo artista com tecido à base de nylon, – comumente usado em paraquedas e guarda-chuvas – performam um “ballet-eólico” em que o vento se torna a força central, de forma que guia os movimentos dos artistas e se torna um coreógrafo invisível. Para criar esta dança, Navarro desenvolveu junto com a bailarina e coreógrafa paulista Zélia Monteiro uma série de movimentos coreográficos em que bailarinos investigam o potencial plástico e a eficiência desses aparatos em resposta, e em relação, às correntes de vento dentro e fora do Pivô. Haverá duas ações programadas no início e no final da exposição, além de programas públicos em que os visitantes são convidados a experimentar os trajes. 

 

Quando não estão em uso, os trajes ocupam o espaço do Pivô como uma espécie de instalação-laboratório, onde são postos à espera de seus usuários-meteorologistas. O artista pediu para que as janelas do espaço permaneçam sempre abertas, provocando a entrada das correntes de ar pelos corredores e fazendo com que as roupas se movimentem de acordo com as variações meteorológicas que ocorrerão durante o período expositivo.

 

Predição Instantânea do Tempo foi viabilizada por meio de uma parceria com o Instituto Inclusartiz, e é mais um projeto em que Navarro aponta para uma forma de tecnologia sensorial, a qual desencadeia conexões entre o corpo, o espaço urbano e a natureza. Por anos, ele vem explorando formas de transformação da percepção para propor novas maneiras de relacionamento entre o humano e o seu meio.   

 

Abertura: 15 de junho das 15h às 19h (ativação ao longo da abertura)

Última ativação : 27 de julho das 15h às 17h

Encerramento: 03 de agosto das 13h às 19h

Sobre o Artista

Eduardo Navarro, 1979, vive e trabalha em Buenos Aires

Participou de diversas bienais como: SeMa Bienale Mediacity Seoul (2016); 3a Trienal do New Museum (2015); 12a Bienal de Sharjah (2015) e 29a Bienal de São Paulo (2010). Exposições individuais recentes incluem “Into ourselves”, The Drawing Center (2018); “Der TANK”, Art Institute (2017); “OCTOPIA”, Museo Rufino Tamayo (2016); “We who spin around you”, The High Line Art (2016). Sua obra integra importantes coleções como MAMBA, Sharjah Art Foundation e Thyssen- Bornemisza Art Contemporary.