Raphael Escobar: Ensaio para Pupilas Dilatadas

16/04/2021, 12:57

orbital 1
dorflex 1
heinekken 1
engov 1
sono 1
barça 1
snapchat 1
donk 1

Todas as substâncias são venenos; não existe uma que não seja veneno. A dose certa diferencia um veneno de um remédio.

Paracelso

 

Ensaio para Pupilas Dilatadas é uma catalogação fotográfica de comprimidos de diversos tipos: ecstasy, balas contendo LSD, remédios antidepressivos, pílulas para emagrecer e para dormir, entre outros, todos colocados em patamar de igualdade. Esses comprimidos – independente se legalizados ou não – partilham, em sua maioria, de outras substâncias em sua composição, como café, açúcar, anfetaminas etc. Tem sido muito discutido o prejuízo que tais substâncias complementares fazem à saúde.

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), droga é qualquer substância que, introduzida no organismo, interfere em seu funcionamento normal – abrangendo o álcool, o tabaco, a maconha, o chocolate, o café, o chá mate, o ópio, a folha de coca e seus derivados, entre outros . A partir do final do século XIX e começo do XX, começamos a ter as proibições do que hoje entendemos como drogas, muitas vezes com valores morais e/ou econômicos envolvidos.

 

Hoje tratamos o MDMA e o LSD como drogas perigosas, mesmo tendo sido demonstrada, através de estudos científicos, a eficácia do MDMA no tratamento de estresse pós-traumático e do LSD para crises de ansiedade. Já o consumo de remédios como anfetamínicos, ansiolíticos, benzodiazepínicos e antidepressivos é aceito como saudável, apesar de pesquisas mostrarem os males causados pelo consumo regular dessas substâncias.

 

As barreiras entre legalidade e ilegalidade nunca foram claras, este processo vem beneficiando grandes indústrias e políticas de extermínio das populações mais pobres. Assim, este ensaio mostra diversos comprimidos com a intenção de borrar tais fronteiras, tão frágeis, entre legalidade e ilegalidade ou entre remédio e droga.

 

Raphael Escobar, Ensaio para Pupilas Dilatadas, 2021

Foto: João Leoci