Pivô Pesquisa: 1˚Conversa Pública

Período

06/06/2018

Horário de funcionamento

19h30 - 20h30

Entrada

Gratuito

No dia 06 de junho das 19:30 às 20:30, o Pivô realiza a primeira Conversa Pública do projeto Consultas curatoriais, em que três curadores são convidados a acompanhar um grupo de artistas do programa de residências Pivô Pesquisa.

O primeiro grupo a apresentar é composto pelos residentes Erica Ferrari, Gokula Stoffel, Guerreiro do Divino Amor, Guido Yannitto, Lyz Parayzo e Sofia Lotti que estão sendo acompanhados pela dupla bendego.com

As Conversas Públicas são um momento importe de ativação do espaço e de interlocução entre os artistas, curadores e o público, como forma de fomentar as discussões sobre a produção dos artistas na residência e tornar público o conteúdo produzido no Pivô.

 

 

Sobre o bendego.com

bendego.com é uma plataforma que abriga ensaios, projetos de artistas, projetos curatoriais, reviews, entrevistas e outros registros. Um projeto de Julia Coelho, Renan Araujo e colaboradores.

Sobre os Artistas

Erica Ferrari, 1981, vive e trabalha em São Paulo

www.ericaferrari.com

Artista e pesquisadora. Mestranda em Poéticas Visuais da Universidade de São Paulo (ECA USP). Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade de São Paulo com Habilitação em Escultura. Pesquisadora associada ao Fórum Permanente e ao LabOUTROS da FAU USP. Nos últimos anos produziu objetos e instalações a partir de pesquisa em torno das relações entre arquitetura, espaço e história. Das exposições recentes, destacam-se “Estratigrafia” no Paço das Artes, “Totemonumento” na Galeria Leme (São Paulo), “Provocar Urbanos” no SESC Vila Mariana (São Paulo), “Estudo para Monumento” na Funarte (São Paulo), “Interaktion”, em Berlim, Alemanha e a “32º Bienal de Artes Gráficas”, em Liubliana, Eslovênia.

Gokula Stoffel, 1988, vive e trabalha em São Paulo

Gokula Stoffel invetiga em sua produção os desdobramentos possíveis do pictórico através de objetos e no espaço. Realizou em 2017 sua primeira exposição individual “Madona Ansiosa” no Galpão Fortes D’Aloia e Gabriel e participou das coletivas “Um tufo de pelos preso fortemente a um cabo”, com curadoria de Bruno Mendonça no Epicentro Jardins e “A terceira mão”, com curadoria de Erika Verzutti na Galeria Fortes D’Aloia e Gabriel.

Guerreiro do Divino Amor, 1983, vive e trabalha em Rio de Janeiro

www.guerreirododivinoamor.com

Guerreiro do Divino Amor é um artista suíço-brasileiro mestre em arquitetura. Sua pesquisa explora as Superficções, forças ocultas que interferem na construção do território e do imaginário coletivo, tomando forma de filmes, publicações e instalações. Sua obra foi exibida em várias mostras e festivais nacionais e internacionais, além de ter sido finalista do Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro 2009, com seu trabalho “Clube da Criança” (2008), vencedor do prêmio de melhor curta documentário no Transgender Film Festival de 2015 de Kiel, na Alemanha, finalista na Bienal da Imagem em Movimento de Genebra, em 2016 e duas vezes finalista dos Swiss Art Awards (prêmio paralelo à Art Basel). Guerreiro Divino do Amor já participou de exposições na Fundação Iberê Camargo (Porto Alegre), na casa França-Brasil (Rio de Janeiro), na galeria Gentil Carioca (Rio de Janeiro), MAR (Rio de Janeiro) e no Centro de Arte Contemporânea de Vilnius (Lituânia). Vive e trabalha no Rio de Janeiro

Guido Yannitto, 1981, vive e trabalha em Buenos Aires

 www.guidoyannitto.com

 Graduado em artes plásticas pela Universidade Nacional de Córdoba com ênfase em pintura. Em 2009 recebeu o prêmio de produção pelo Fundo Nacional das Artes, Argentina. Em 2012, participou da primeira residência Sur Polar e foi para a Antártida desenvolver um projeto site-specific. No mesmo ano, foi premiado com a bolsa FONCA para desenvolver um projeto na Cidade do México. Recentemente, participou das exposições em grupo “Ardid del tiempo”, no Museo de Bellas Artes (Argentina) e “Una – Sur Polar, arte de la Antartida”, no Museu Contemporáneo de Bogotá (Colômbia). Seu trabalho alia a produção de tapeçarias e bordados, além de projetos colaborativos. Possui trabalhos nas coleções do MACRO, MAC e do Museu Caffafa.

Lyz Parayzo, 1994, vive e trabalha em Rio de Janeiro

http://cargocollective.com/lyzparayzo

Graduanda em Teatro pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Formou-se como artista visual na Escola de Artes Visuais (EAV) do Parque Lage (2013-2016). Em 2017 foi uma das artistas indicadas ao prêmio PIPA e selecionada como umas das residentes do projeto Arte e Ativismo na América Latina (Despina – Rio de Janeiro). Durante o primeiro semestre de  2018 concluiu a residência artística da Fundação Armando Alvares Penteado. Lyz é TRANS não-binária e desenvolve uma pesquisa que investiga as possíveis e impossíveis  poéticas performativas do corpo e seus respectivos resíduos físicos e subjetivos. Já participou de coletivas nacionais e internacionais dentre as principais: Mostra de performance Verbo, na Galeria Vermelho (São Paulo), Histórias da Sexualidade, no Museu de Arte de São Paulo, Inauguração do SESC 24 de maio; Mostra Performatus 2, no SESC Santos; 2a Gran Bienal Tropical (Porto Rico), Imersões, na Casa França-Brasil (Rio de Janeiro), Encruzilhada ( Escola de Artes Visuais do Parque Lage), Abre Alas 13 (Galeria A gentil Carioca), A Urgência de Cada Um (Largo das Artes) e Descamada (Antiga Fábrica da Behring). Lyz é representada pela Galeria TATO, em São Paulo. Vive e trabalha entre Rio de Janeiro e São Paulo.

Sofia Lotti, 1991, vive e trabalha em São Paulo

www.sofialotti.wix.com/portfolio

 

Sofia Lotti é artista visual formada pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Elege a paisagem como foco central de seu trabalho artístico, utilizando predominantemente o pastel seco e pigmentos naturais para a realização de suas obras. Em 2012, seu trabalho foi selecionado para a mostra “Três Jovens Artistas”, no Instituto Moreira Salles de Poços de Caldas. Participou também da Feira PARTE 2015 e conta com uma passagem pela residência no centro de artes MoKs, em 2016, na Estônia. Atualmente vive e trabalha em São Paulo.

Sofia Lotti is a visual artist graduated by the University of Campinas (UNICAMP). Landscapes are the central focus of her artistic work, which are composed mostly by dry pastel and natural pigments. In 2012, Sofia’s work was selected to integrate the show “Three young Artists” at Moreira Salles Institute in Poços de Caldas. She also participated in the PARTE Art Fair 2015 an in a artistic residency at the moK Arts Centre, located in Estonia. Currently lives and works in São Paulo.